Publicado em: qui, mar 1st, 2012

A crônica da morte anunciada

É Cerezo, em bom “baianês”, segure sua onda e vá preparando suas malas porque o trabalho desenvolvido por você até agora, não pode nem ser considerado um trabalho, a não ser que tenham preparado um contra você. Pela primeira vez na história deste veículo, serei obrigado a concordar com as sábias palavras (coisa rara) de Darino Sena. “O Vitória faz uma campanha irregular e Neto Baiano vem reclamar da arbitragem? As expulsões ontem a noite foram corretas. O vitória precisa parar de reclamar e jogar bola”.

Estamos na 12ª rodada do Baianão e, como é sabido, o Vitória ocupa a quarta colocação. A campanha do “Pacato” outrora gato-guerreiro (personagem do He-man) é de cinco empates, duas derrotas e cinco vitórias, nada absurdo não é? É absurdo sim! Afinal estamos falando de um campeonato que contem times na disputa pelo título que são encarados como semi-profissionais.

“Isso ai” que está disputando o campeonato vestindo a camisa rubro-negra é uma equipe vergonhosa, sôfrega e desesperadoramente irritante. Ano passado a reclamação era o baixo investimento em um elenco que fosse minimamente competitivo. A situação não é ainda a que desejamos, mas não se pode reclamar. Trouxemos, só pra citar alguns nomes, Pedro Ken? Dinei, Lúcio Flavio, Tartá, Rodrigo e Vitor Ramos.

 

O jeitinho mineiro do Vitória

Uai sô! Acabo de entender o motivo pelo qual nos encontramos nesta situação. É que nossa equipe tem a cara do nosso técnico e aplica a tática do “comendo pelas beiradas”, por isso estamos beirando a não-classificação e nosso rugir é sempre baixo e subserviente. No primeiro clássico do ano nosso técnico montou uma equipe digna de um “matuto falando ao sinhozinho”. Acho que ele deve ter pensado “vamos encher de volantes o meio-campo e conseguirmos mais um empate porque não conseguiremos vencer.”

Em uma matéria ao telejornal esportivo nacional, Cerezo se queixava da administração dos times em nosso país e arrematou a frase: “é preciso tempo para que o trabalho colha resultados”. Eu do lado de cá da TV dizia ao até então, respeitável ex-jogador da Seleção Canarinha “vossa senhoria sabe que só se estabelece quem tem competência?”

 

Pelo amor de Deus Cerezo, quantas epístolas terei que escrever ao senhor para que  você pare de fazer experienciazinhas ou busque explicações no gramado irregular, no tempo, na má arbitragem, no erro de posicionamento, na falha individual? Em nome de sua história como jogador quero lhe dar alguns conselhos:

Ligue pra Falcão e pergunte a ele qual o segredo?

Leia a Tipo Revista.

Arme um time ofensivo e dê um gelo em Neto baiano.

Monte um ataque com Marquinhos e Dinei.

Faça ou peça pra fazer um trabalho psicológico com nossos jogadores.

Dê um jeito de colocar as contratações pra jogar nessa “miséra”!

O que está parecendo até agora é que enquanto existir Falcão o senhor será sempre o 02, então resolva logo esta porra ou peça para sair!

 

O jogo

Quase ia esquecendo…

“Foi o de sempre”, perdemos mais do que um jogo, deixamos escapar a vice-liderança do campeonato, tomamos um gol em uma falha absurda de todo sistema defensivo, culpamos a arbitragem e Neto Baiano foi ineficiente. Marquinhos (coitado) fez a parte dele, tivemos duas expulsões de uma infantilidade grotesca… Enquanto isso, no banco, Cerezo fez uma substituição equivocada e outra que não surtiu efeito nenhum.

Sobre o Autor